segunda-feira, 12 de novembro de 2018

HomoSapiens - 24 e 25 de novembro em Lisboa

 
Uma peça curta de Chantal Bilodeau, que aborda o tema das Alterações Climáticas - e que trazemos em leitura encenada/ performance, seguida de conversa sobre o tema.
 
As próximas apresentações de HomoSapiens irão ocorrer a 24 e 25 de novembro de 2018:
 
24.Nov | 15h | CIM - integrado no Dia da Floresta Autóctone
(com Rita Fouto e Rui Dinis)
 
25.Nov | 11h | Liceu Camões - integrado nos Encontros Ecossocialistas
(com Álvaro Fonseca e Rui Dinis)
 
Para saber mais sobre HomoSapiens, clique aqui.

segunda-feira, 8 de outubro de 2018

DRAM - Dramático é Não Ter Expressão (oficina de teatro com Rita Fouto, 1 sábado por mês no IFICT)

 
 
 
Achamos que sim e que isso não pode ser. Por isso aqui vimos, de forma prazerosa, divertida, mas também séria, que isto do teatro tem muito que se lhe diga. Sozinho(a), com amigos, em família, experimente-se sem compromisso ou assuma-se esta regularidade de um sábado por mês, no IFICT (a escola do teatro, em Lisboa, junto à Estação de comboio/ metro de Santa Apolónia). Para brincar muito a sério ao teatro.
(Rita Fouto)

 
A quem se destina?
Todos, sem qualquer limitação de idade, estado, situação, convicções, medos e sonhos. Aliás, estará nessa diversidade, das nossas especificidades, o caldo mais poderoso e criativo dos encontros da nossa humanidade.
 
Qual o objetivo?
Estimular e desenvolver a expressão livre e criativa de cada um, implicando o corpo, a voz e a imaginação, numa descoberta pessoal e comum (de grupo).
A magia do “faz-de-conta” surgirá, muito naturalmente, a partir de estímulos, ideias, concretizações e composições, que o grupo devolverá, nas suas dinâmicas próprias.
Pretende-se proporcionar, uma vez por mês, uma manhã de sábado diferente, dedicada à expressão e criação artística teatral, em família e em comunidade.
 
Qual o programa/ modelo das sessões?
Estamos com um modelo muito aberto, tudo dependerá de quem venha, como venha, ao que venha. Desde que venha! Há um programa-base, ideal, desejável, algo do género:
1.   Chegar Devagar (roda de boas-vindas);
2.   Ativar, Ativar (exercícios de foco, concentração e aquecimento);
3.   Dramático do Dia (estímulos, propostas e desafios específicos);
4.   Improvisações e composições (criações em pequeno grupo):
5.   Fechar sem tapar (roda de partilha final e despedida).

Cada sessão será influenciada pela anterior (naturalmente e dependendo do número de participantes regulares). Ainda assim, as sessões serão autónomas, procurando-se explorar diferentes 'dramaticos' em cada uma.
 
Onde e quando se realiza?

 
No IFICT – Instituto de Formação, Investigação e Criação Teatral,
Sito na Rua da Bica do Sapato, nº 48 A e B, 1100-094 Lisboa (junto à Estação de St.ª Apolónia),
No horário das 10h30 às 12h30.

Nos sábados de:
- 27/10
- 24/11
- 22/12
- 19/01
- 16/02
- 16/03
- 27/04
- 25/05
- 22/06
 

Como posso participar?
Inscrevendo-se para geral@ifict.pt, para a primeira e 'pack' de 9 sessões até sexta-feira 19 de outubro e, para as restantes, até à sexta-feira anterior.

 
Qual o custo?
O custo da oficina, por pessoa (criança/ jovem/ adulto/ sénior) é de:

Família de:
1
2
3
4
5 ou +
Sessão Avulsa:
20 €
18 €
16 €
14 €
12 €
Pack de 9 Sessões:
18 €
16 €
14 €
12 €
10 €
 

E sobre a formadora?
 


A Rita foi aluna e é agora professora convidada do IFICT. É membro co-fundador e dirigente da MIAU Associação Cultural/ Companhia de Teatro e sócia gerente da FAREDUCA. Nasceu em Lisboa, em 1975. A sua formação e experiência afirmam-na atriz, encenadora, dramaturga, produtora, criadora, formadora e professora de teatro. As suas aulas e oficinas (que dinamiza desde há 15 anos), têm passado por crianças, jovens, adultos, séniores e outros grupos, sempre centradas no desenvolvimento pessoal e integral do "ser" de cada um - e na expressão artística daquilo que temos para dizer/ comunicar aos outros.
 

Dona Gota de Água e Dom Plástico: Uma História de Amor Impossível?...

 

Sobre o Projeto

‘Dona Gota de Água e Dom Plástico: uma História de Amor Impossível?...’ é um espectáculo de teatro para a infância e a juventude (mas, na realidade, para todas as idades) dedicado ao tema ‘Oceanos e Plástico’.

A peça aborda o tema conjugando rigor (história do plástico, problemática do plástico no mar, conceitos e dados científicos), humor (truncando a dualidade ‘bom e mau’ na humanização das diferentes perspetivas) e amor (veiculando a ética planetária nas necessárias cedências e compromissos que temos todos de fazer para alcançar um futuro sustentável para todos).

O espectáculo alinha-se com o tema recomendado pela ABAE/ Programa Eco-Escolas para o ano letivo 2018-2019.

Apresenta-se em formatos adaptados aos níveis do Pré-Escolar, 1º e 2º Ciclos do Ensino Básico.
 
 

Sinopse

Dona Gota de Água chega numa suave brisa. Conta a sua história e fala-nos do Ciclo da Água e de como ela é importante para todos. Cansada, adormece. Surge então Dom Plástico, trazido por uma corrente de ar, que igualmente nos conta a sua história, embora esta de fim trágico, pois os Humanos estão a erradicar o plástico do Planeta. O seu choro dramático acorda Dona Gota de Água. Ao primeiro olhar, apaixonam-se perdidamente – e Dom Plástico resolve seguir Dona Gota de Água até sua casa, o profundo oceano azul.
 
Dona Gota de Água leva-o a mergulhar e ver as maravilhas do fundo marinho. Quando regressa, Dom Plástico ‘sabe’ que veio para ficar, instala-se num luxuoso Estúdio T0, todo em plástico (só para começar) e daí lhe surge uma ideia brilhante: construir um resort no mar, uma ilha flutuante onde todos os plásticos do planeta poderão ficar a salvo dos Humanos e finalmente ‘descansar’. Entusiasmado, conta a Dona Gota de Água os seus planos, mas esta chega da reunião de emergência do Reino Marinho, que decretou que Dom Plástico tem de sair do mar, pois a sua presença está a afetar os seres marinhos e a água.
 
Os dois não parecem poder ficar juntos. Haverá uma solução?...
 
 
 
Ficha Artística

Criação: FAREDUCA/ Rita Fouto

Interpretação: Fábio Vaz e Joana de Carvalho

Técnica de Som e Auxiliar Voz-Off: Rita Fouto

Produção Executiva: Inês Veiga de Macedo

Produção: MIAU Associação Cultural/ MIAU Companhia de Teatro

Nota: o espectáculo é inspirado nos Contos ‘Gota de Água’ de Maria Helena Henriques e ‘Dom Plástico’ de Maria José Moreno, integrantes do livro ‘Contos da Dona Terra’, co-editado pela CML, Lisboa E-Nova, APA e Comissão Nacional UNESCO.
 


Contactos

Produção Executiva:

Inês Veiga de Macedo

E-mail: ines_vm@hotmail.com

Tmv: 938316309


Contactos Gerais:

FAREDUCA

MIAU A.C./ MIAU C.T.

sábado, 22 de setembro de 2018

o mundo é um lugar estranho

 
O mundo é um lugar estranho.
Cheio de gente.
Fazendo e desfazendo a teia.
Como Ariadne esperando Ulisses.
Fazendo e desfazendo o futuro.
Em tratados e fraudes.
Fazendo e desfazendo a memória.
Num compasso ilógico.
O mundo é um lugar estranho.
E eu pertenço-lhe.
Rita Fouto
(fonte da imagem: loopbaancoachoisterwijk.nl)

Dia Europeu das Comunidades Sustentáveis


A FAREDUCA deseja a todos um feliz 'Dia Europeu das Comunidades Sustentáveis'!


Sobre o Dia Europeu das Comunidades Sustentáveis | European Day of Sustainable Communities (#EdaySC2018)
 

 
O 'Dia Europeu das Comunidades Sustentáveis' celebra as comunidades locais, pioneiras em toda a Europa, que estão a tomar medidas para um mundo melhor, mais sustentável.
 
Em 2017, comunidades em 15 países europeus celebraram o dia. Em 2018, a comemoração é mais alargada: https://www.sustainable-communities.net.
 
 
(logótipo da égide)
 
 
O Dia Europeu das Comunidades Sustentáveis em Lisboa
Mapeámos uma iniciativa em Telheiras e outra no ICS. Sendo que a égide coincide com o fim da Semana Europeia da Mobilidade (European Mobility Week, 16 a 22 de setembro).
 
 
Este ano com o tema 'Mix and Move!' ('Combina e Move-te!'), instiga os cidadãos à utilização multimodal de transportes, combinando meios: saudáveis (top: ir a pé), não motorizados/ não poluentes (top: bicicleta) e coletivos/ públicos.
 
Conjugando as duas égides, será, pois, muito proveitoso, planear este dia numa rota/ circuito multimodal o mais 'eco' possível - diríamos a pé, de bicicleta e transporte público.
 
 
 

terça-feira, 4 de setembro de 2018

Coração & Coragem

 
O novo ano letivo está aí à porta e todos, sem exceção (ou, bem, com algumas honrosas exceções), nos preparamos para mais um ciclo Outono - Inverno - Primavera - Verão, na verdade muito bem visto, da queda da folha ao estalar do calor e dos frutos.
 
Neste novo ciclo, não esqueçamos - por favor, não esqueçamos mesmo! - que há coisas essenciais que não podemos 'não ver', coisas muito importantes que estão a acontecer ao nosso Planeta Terra e que estão a ser determinantes para aquilo que será o nosso futuro a breve trecho: e não vamos aqui enumerá-las, pois TODOS JÁ SABEMOS QUAIS SÃO.
 
É preciso agir e é de ação que se trata. Pois então, mãos à obra!
 
Conhece-te a ti mesmo(a). Sem filtros, ecrans, diferidos e preferidos: escolhe lugares belos, plenos de natureza vibrante, sente a sintonia contigo mesmo(a), sente o silêncio - e coloca-te a questão: 'Quem sou eu?'; 'O Que Quero para a Minha Vida?'. Deixa-te levar, segue o teu instinto, a tua criança interior, a primeira coisa que te venha à cabeça, a pele eriçada, o coração a bater. Tu sabes a resposta, ela está dentro de ti, abre-lhe a porta!...
 
Já sabes da tua essência e do que queres para a tua vida? Ótimo! Esperamos que por aí passem coisas como: uma vida mais simples, menos consumista, mais atenta aos outros e ao que me rodeia; uma vida mais plena, responsável, benéfica e regeneradora, do Planeta Terra e de todos os seus recursos, valores e seres vivos.
 
E agora, cavaleiro(a), ergue-te no teu cavalo e corre a salvar a princesa, luta contra o dragão. As princesas desta vida são as coisas belas, frágeis, que precisam de cuidado, carinho, amor e proteção. Os dragões são os nossos medos, as dificuldades, barreiras, e tudo o que ameaça o harmonioso equilíbrio da nossa vida e de toda a vida da Terra.
 
Temos um ano de 'guerrilha amorosa' pela frente. Estamos em contra-relógio no ciclo geológico e climático que acelerámos. Mas temos que prosseguir com muito cuidado e calma, muita consicência das interligações e interdependências que envolvem toda a ação. Sejamos prudentes e sábios. E perseverantes. 'Devagarinho e sempre'. Sempre.
 
Para todos os educadores, uma palavra especial: tratemos de conhecer cada criança e jovem, cada Ser, antes de qualquer ensinamento. A aprendizagem é um encontro, uma troca - nela se jogam os papéis de mestre e aprendiz, em que ambos se iluminam e enriquecem mutuamente. Ora, para haver troca, tem de haver, primeiro, um cerimonial de conhecimento.
 
Os rituais de chegada, de 'entrada' num ambiente propício, o ouvir e contar das histórias, os momentos de atenção e silêncio, os mergulhos no mundo exterior (expedições científicas) e interior (incursões artísticas), o culto da 'arte da conversação', a reverência ao bem e ao belo (o natural, também em nós) - são pedras seguras nesse caminho.
 
Coração & Coragem é o que desejamos, pois, a todos, neste ano que promete ser veloz e intenso, com muitas pessoas no mundo - e muita energia - concentradas já em fazer acontecer as necessárias e urgentes mudanças rumo à sustentabilidade da nossa vida na Terra.
 
Não deixemos que se transforme num ano voraz e poluto. Coração & Coragem para discernir, nos guiar e (re)encontrar. De olhar limpo no horizonte e mãos fortes na Terra. Tecendo juntos o subtil, inextrincável, belíssimo rendilhado da vida.
 
Rita Fouto

quarta-feira, 8 de agosto de 2018