quinta-feira, 14 de junho de 2018

(Os Dias da Terra #6) 23.Jun no CIM - Somos o Que Comemos



OS DIAS DA TERRA iniciaram no sábado 27 de janeiro, no CIM (Centro de Interpretação de Monsanto), bem no coração do Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa.
 
Partindo de uma ideia de Álvaro Fonseca, a que se junta a FAREDUCA e a CML (e vários parceiros), propomo-nos respirar o verde, comungando deste ciclo formativo e vivencial (certificado pelas entidades organizadoras) dedicado ao bem-estar e à sustentabilidade - e dirigido aos colaboradores e públicos das entidades envolvidas, profissionais das diferentes áreas e público geral/ famílias, com propostas para todas as faixas etárias.
Nesta 6ª sessão, teremos uma manhã dedicada aos alimentos, com uma conversa participativa para jovens e adultos e (simultânea) oficina criativa para crianças. Segue-se o almoço de convívio, partilhado com os contributos de todos e, pela tarde, uma sessão de 'networking' (balanço do EARTHfest' 2018 e planos para 2018-19) e, em horário simultâneo, a habitual aula 'Yoga, Vida e Natureza' para crianças e adultos, com a FPY).
 
Uma proposta para um dia em cheio (e em comunidade), gratuita mas de inscrição obrigatória.
 
  
Dia #6
Somos o que Comemos

PROGRAMA:

10h - Receção dos participantes

10h30 - Conversa Participativa “Somos o Que Comemos” para jovens e adultos
Conversa-Debate a partir de alimentos selecionados e perguntas sobre hábitos alimentares
Com Álvaro Fonseca e Rita Fouto

10h30 - Oficina Criativa "Comemoremos" para crianças dos 6 aos 12 anos
(Re)Conhecer os alimentos; alimentos para os olhos, o coração e a boca; preparação coletiva de um 'prato' para o almoço partilhado
Com Irene Altieri | Salsa em Festa

12h30 - Momento coletivo
Almoço de convívio e 'prato' feito pelas crianças na oficina.
 
 15h30 - Sessão de Networking:
Balanço do EARTHfest' 2018
Projeto CVERDE
Planos para 2018-19
(FAREDUCA & Parceiros)
Facilitação da Sessão por Rita Fouto | FAREDUCA
 
15h30 - Aula de Yoga com a Federação Portuguesa de Yoga
Aula para adultos e aula para crianças.
 
 
 INSCRIÇÕES:
Inscrição na Conversa Participativa/ Oficina Criativa aqui.
Inscrição na aula de yoga para casamonsanto.fpy@gmail.com
 
 
 MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CICLO:
Saiba mais sobre este ciclo, como e porque surgiu, quais os objetivos e sessões anteriores, aqui.

sexta-feira, 1 de junho de 2018

(Comunidade #5) 09.Jun em Água Formosa (Vila de Rei)

 
INFORMAÇÕES GERAIS
 
O 5º e último encontro deste ciclo (Jan-Jun'2018) do 'COMUNIDADE - Projeto e(m) Partilha' realiza-se no sábado 9 de junho na aldeia de Água Formosa, em Vila de Rei, novamente em parceria com a Fazedores da Mudança.
 
Fecharemos o ciclo retornando ao local do 1º encontro, trazendo para a conversa da tarde algum conhecimento e experiência de contacto com comunidades e uma provocação de conceito quanto à pergunta inicial (que relembramos): "O que é isso de estar e viver em Comunidade?"
 
Sendo que existem comunidades de vida, de trabalho, de aprendizagem; comunidades físicas/ geográficas e de interesses (de pessoas que, num espaço virtual e/ou real pontual, se encontram em agregados interesses) - propomos agora o "Ser Comunidade", um 'desenho de conceito' para uma forma de estar e viver - onde se está, com quem se está - potenciador das várias interações benéficas visíveis nas comunidades. Esse 'desenho de conceito' é a provocação (ou desafio) que propomos neste encontro.
 
Este encontro será especial, pois estará integrado numa iniciativa mais ampla da Fazedores, o "Vamos Celebrar o Espírito da Dádiva":
 
 
 
Sobre ele, diz a Fazedores:
 
"Celebramos o dia de Portugal, celebrando o Espírito da Dádiva ...
 
Este ano, esta Celebração marca o início de um momento muito especial e tão esperado: a reconstrução da Casa de Pax. Já tivemos duas doações, num total de 10.500 €, que nos permitiram avançar com os projetos de arquitetura e especialidades, mas precisamos de muita criatividade e recursos para cumprirmos o objectivo deste ano: Telhado, Estrutura interna da Casa, Paredes, Janelas e Portas, até Dezembro de 2018.
 
As iniciativas previstas são para míúdos e graúdos, sendo que para os jovens temos um desafio!! No sábado será entregue uma Carta de Missão e no domingo à tarde terão de apresentar as suas ideias para o desafio colocado: O que precisa de acontecer para que os jovens venham à aldeia e ajudem a Cuidar e tenham contacto com a natureza?
 
Amigos.... são todos muito bem-vindos a Água Formosa. Apareçam!! :) "
 
 
PROGRAMA
 
Sábado | 9 Junho
 
9:30 a 12:30 - Cuidando da Casa de Pax (manh~ºa de trabalho voluntário, com ação de limpeza do terreno em redor e dentro da casa comunitária da Fazedores da Mudança)
 
13:00 a 14:30 - Almoço e Cantares Partilhados
 
15:00 a 17:00 - Programas Paralelos:
 
Vamos Conversar ... (com a colaboração da Comunidade Art of Hosting Portugal):
  • “Ser Comunidade” (FAREDUCA)
  • “Portugal a Cuidar da Casa Comum” (FAZEDORES DA MUDANÇA)
Desafio de Missão "Casa de Pax" (Programa Jovens)

Histórias e Brincadeiras da Minha Aldeia (com a Terra de Santos) (Programa Crianças)

18:00 a 20:00 - Vamos Fazer Pão & Pizzas! (Forno Comunitário da Aldeia, com Jantar Partilhado; atividade orientada pela Associação Agricultura e Vida)

20:00 a 22:00 Cinema na Aldeia: Vamos lá falar de Sementes!! (UPAYA Ambiente)


Domingo | 10 Junho

10:00 a 10:30 - Meditação com a Terra

10:30 a 11:30 - Yoga na Aldeia (com Nuno Silva)

11:30 a 12:45 - Mãe Terra, Terra Mãe & Caminhada “À Descoberta das Hortas” (Fátima Effe & Fazedores da Mudança)

11:30 a 12:45 -  A Arte de Cozinhar com o que temos! (FAREDUCA & UPAYA Ambiente)

13:00 - 14:30 - Almoço Partilhado

14:30 a 17:00 - Missão "Casa de Pax": Telhado e Paredes até Dez.2018 - Como conseguir financiamento? (Fazedores da Mudança & Comunidade Art of Hosting Portugal)

17:00 a 17:30 - Encerramento com Cânticos na Aldeia (Raiz de Portugal & Casarão da Lua)
 
 
LOGÍSTICA Como a iniciativa começa bem cedo (no sábado, às 9h30), uma boa opção será a ida na véspera (sexta-feira, 8 de junho) e pernoita no alojamento local da aldeia de Água Formosa (integrado na rede das Aldeias de Xisto).

Alojamento Local de Água Formosa dispõe de sete casas entre as quais todos poderão ficar acomodados. O preço de referência é de 40 €/ quarto (duplo), sendo efetuados descontos para os participantes desta iniciativa e havendo condições especiais (claro) para famílias/ bebés e crianças.

Para mais informações e reservas, enviar um e-mail para aguaformosa@gmail.com ou contactar diretamente o responsável, Sr. Renato (tmv 919 275 993).

Nota: para outras opções de alojamento, clique aqui.
 

INSCRIÇÃO/ CONFIRMAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO E PRESENÇA

Por questões logísticas e de organização, pedimos a confirmação de participação e presença por mail para fazedoresdamudanca@gmail.com, cc a fareduca.geral@gmail.com ou por sms para tmvs 917078777 e 969393039.
 
 
OUTRAS DICAS
 
Em prévia inspiração e 'sintonia', sugerimos a leitura do manifesto 'Quem Somos' da Fazedores da Mudança - e sobre a 'Dádiva'.
Para saber mais sobre o nosso COMUNIDADE - Projeto e(m) Partilha , clique aqui.
 
Recomendamos vivamente a todos a participação nesta iniciativa, como excelente forma de, em família, entre amigos e em comunidade, ajudar, aprender, conhecer novos locais e pessoas, conversar/ discutir/ refletir em conjunto e lançar as bases deste nosso 'espaço' em Comunidade :)


quarta-feira, 30 de maio de 2018

FAREDUCA no Festival Solar Lisboa 2018 foi assim...

A nossa presença e participação no FESTIVAL SOLAR LISBOA 2018 foi alegre como um sol. Gostámos muito de lá ter estado a contar histórias aos mais novos, interagindo com os parceiros presentes e o público. A organização está de parabéns e... Para o ano há mais!

quarta-feira, 23 de maio de 2018

(Os Dias da Terra #5) 26.Mai no CIM - Biodiversidade Deslumbrante

 
OS DIAS DA TERRA iniciaram no sábado 27 de janeiro, no CIM (Centro de Interpretação de Monsanto), bem no coração do Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa.
 
Partindo de uma ideia de Álvaro Fonseca, a que se junta a FAREDUCA e a CML (e vários parceiros), propomo-nos respirar o verde, comungando deste ciclo formativo e vivencial (certificado pelas entidades organizadoras) dedicado ao bem-estar e à sustentabilidade - e dirigido aos colaboradores e públicos das entidades envolvidas, profissionais das diferentes áreas e público geral/ famílias, com propostas para todas as faixas etárias. 

Nesta 5ª sessão, integrando a programação especial celebrativa do Dia Internacional da Biodiversidade, teremos uma manhã de conversa para jovens e adultos e (simultânea) oficina para crianças, almoço de convívio (partilhado com os contributos de todos) e tarde de fruição em bem-estar, com a inauguração da exposição de fotografia "Biodiversidade em Monsanto", de Mário Gomes; um passeio temático dedicado ao "Património Natural" de Monsanto e a habitual aula 'Yoga, Vida e Natureza' para crianças e adultos, com a FPY).
 
Uma proposta ainda mais irrecusável para um dia em cheio (e em comunidade), gratuita mas de inscrição obrigatória.
 
  

Dia #5
Biodiversidade Deslumbrante

PROGRAMA:

10h - Receção dos participantes

10h30 - Conversa participativa “Biodiversidade Deslumbrante” para jovens e adultos
Com Álvaro Fonseca e Nuno Luz

10h30 - Oficina Criativa "É para Te Ver Melhor" para crianças dos 6 aos 12 anos
Passeio de observação de plantas e animais e desenho à vista.
Com Patrícia Herdeiro e José Luís António


12h30 - Momento coletivo
Apresentação dos desenhos feitos pelas crianças na oficina criativa.
 
13h30 - Almoço Partilhado
Com os contributos de todos. Opcional mas solicita-se a confirmação para preparação do espaço. 
 
Atividades da tarde:
 
14h30 - Inauguração da Exposição "Biodiversidade em Monsanto", de Mário Gomes.
 
15h00 - Passeio Temático "Património Natural" em Monsanto
 
15h30 - Aula de Yoga com a Federação Portuguesa de Yoga
Aula para adultos e aula para crianças.
 
 
Balanço e pedido de comentários:

O 5º Dia da Terra decorreu na manhã de 26 de Maio de 2018, no Espaço Biodiversidade (EB) do Parque Florestal de Monsanto, junto ao CIM, no formato de conversa peripatética em que o tema da biodiversidade foi abordado ao longo de um percurso pelos caminhos do EB, que nos envolveu no seu manto de verdes de todos os matizes.
 
Participaram 9 adultos e 3 crianças/ jovens, para além dos facilitadores (Nuno Luz e Álvaro Fonseca).
 

 
A conversa foi alimentada com contribuições dos facilitadores, que falaram sobre a génese daquele espaço a partir da reflorestação da serra de Monsanto, no final dos anos 1930 e o progressivo processo de renaturalização, com o estabelecimento de espécies vegetais autóctones e o regresso de diversos animais.
 
À medida que observávamos as diferentes plantas dos extractos herbáceo, arbustivo e arbóreo, constatámos a importância do treino do olhar e da atenção para o reconhecimento e apreciação da biodiversidade e a importância do tempo e do ‘estar presente’ para observar/ escutar a variedade deslumbrante dos seres vivos.
 

 
A alusão aos exemplos dos líquenes (seres híbridos fungo & alga) e da associação das bactérias fixadoras de azoto com as plantas leguminosas, ajudou-nos na percepção da complexidade e na compreensão das interacções e interdependências como processo de sensibilização e de encantamento.
 
Foi-se tornando claro o ciclo virtuoso observar-conhecer-amar-cuidar que promove uma visão biocêntrica do mundo, caracterizada pela interdependência, a cooperação e a sustentabilidade, como contraponto à visão antropocêntrica dominante, caracterizada pela separação, dominação, hierarquização e mercadorização.
 

 
Surgiu, assim, mais uma vez, a constatação da relevância do conhecimento sensorial e racional na construção de uma (auto)consciência e visão de mundo que, por sua vez, poderá alimentar as atitudes de responsabilidade e cuidado indispensáveis para trilhar os caminhos da sustentabilidade.
 
O passeio culminou com a invocação das palavras sábias da naturalista norte-americana Rachel Carson, do seu livro ‘Maravilhar-se’ (‘The Sense of Wonder’), lidas na torre de observação do EB:
 
Para que uma criança mantenha vivo o seu sentido inato do que é maravilhoso (…) ela necessita da companhia de pelo menos um adulto com quem possa partilhá-lo, redescobrindo com ele a alegria, o entusiasmo e o mistério do mundo em que vivemos.


Balanço pela organização:

Nesta 5ª sessão d'Os Dias da Terra, adultos, jovens e crianças participaram conjuntamente do passeio-conversa proposto - naturalmente que os adultos detendo-se mais na conversa, enquanto os jovens e as crianças aproveitavam para explorar, interagir e brincar.
 
Um momento particularmente bonito (que as câmaras não captaram), foi o deleite das crianças em deitarem-se no tapete fofo de musgo do caminho do Espaço Biodiversidade e ali ficarem a olhar as copas das árvores, o céu... Aconteceu repetidamente e contagiou alguns dos adultos a fazer o mesmo. De facto, parece que as crianças sabem bem aproveitar o melhor que o momento tem para oferecer.
 
Quanto a nós, o balanço desta 5ª sessão foi muito positivo, no que de mais prazeroso trouxe a atividade proposta, misturando um passeio num lugar belo e mágico com uma conversa a trechos, bastante participada. No final, sentia-se o contágio de uma energia mais viva e vibrante em cada um de nós - e simultaneamente mais calma, de um cansaço revigorante e apaziguador.
 
Nesta sessão não houve donativos.
 
 
MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CICLO:
Saiba mais sobre este ciclo, como e porque surgiu, quais os objetivos, balanços das sessões anteriores e datas e temas das próximas sessões, aqui.



segunda-feira, 14 de maio de 2018

FAREDUCA no Festival Solar Lisboa 2018



A FAREDUCA vai estar presente no Festival Solar de Lisboa 2018, de quinta-feira 17/05 a domingo 20/05, entre as 10h e as 19h.

Iremos levar "Histórias com Sol" para os mais novos (sessões às 10h30, 11h30, 14h30 e 15h30) e receber amigos, parceiros e público do festival na nossa tenda chillout com mantas, poufs, alegria, boa disposição - e o stand da FAREDUCA, claro!

Juntem-se a nós nesta iniciativa, porque o Sol... É a nossa força!

Mais informações sobre o Festival aqui: http://festivalsolarlisboa.pt.

Página de Facebook do evento: https://www.facebook.com/festivalsolarlisboa/

quinta-feira, 12 de abril de 2018

(Os Dias da Terra #4) 21.Abr no CIM - Está Tudo Ligado!

OS DIAS DA TERRA iniciaram no sábado 27 de janeiro, no CIM (Centro de Interpretação de Monsanto), bem no coração do Parque Florestal de Monsanto, em Lisboa.

Partindo de uma ideia de Álvaro Fonseca, a que se junta a FAREDUCA e a CML (e vários parceiros), propomo-nos respirar o verde, comungando deste ciclo formativo e vivencial (certificado pelas entidades organizadoras) dedicado ao bem-estar e à sustentabilidade - e dirigido aos colaboradores e públicos das entidades envolvidas, profissionais das diferentes áreas e público geral/ famílias, com propostas para todas as faixas etárias.

Manhã de conversa para jovens e adultos e oficina para crianças, almoço de convívio entre todos, tarde de 'networking' (para o EARTHfest'2018) e fruição em bem-estar (com uma aula 'Yoga, Vida e Natureza' para crianças e adultos, com a FPY), eis uma proposta irrecusável para um dia em cheio (e em comunidade), gratuita mas de inscrição obrigatória.
 
  

Dia #3
Está Tudo Ligado!

PROGRAMA:

10h - Receção dos participantes

10h30 - Conversa participativa “Está tudo ligado!” para jovens e adultos
Com Álvaro Fonseca e Rita Fouto

10h30 - Oficina Criativa "Está tudo ligado!" para crianças dos 6 aos 12 anos
Oficina de co-criação de performance com proposta de leitura, interpretação e dança/ movimento.
Com Patrícia Herdeiro


12h30 - Momento coletivo
Apresentação da proposta teatral co-criada pelas crianças na oficina criativa.
 
13h30 - Almoço Vegetariano
Opcional, inscrição obrigatória.
Menu e custo a divulgar no blog do EARTHFest'2018. 
 
Atividades da tarde:
 
15h30 - Aula de Yoga com a Federação Portuguesa de Yoga
Aula para adultos e aula para crianças.
 
Outras atividades integradas na programação do EARTHfest'2018
consulte o programa aqui.




Balanço e pedido de comentários:

O 4º Dia da Terra decorreu na manhã de 21 de Abril, no CIM, integrado na programação do EARTHfest’2018 e com as seguintes atividades:

- Conversa Participativa a partir do tema ‘Está tudo ligado!’, que contou com cinco participantes, além dos facilitadores (Álvaro Fonseca e Rita Fouto);

- Oficina Criativa ‘Está tudo ligado!’, que a partir desta frase-chave criou uma 'performance' sobre a água, explorando-a enquanto elemento de ligação entre todos os ambientes naturais do planeta; e que contou com duas crianças participantes, para além da facilitadora (Patrícia Herdeiro);

- Momento Coletivo de apresentação (aos adultos) da performance co-criada pelas crianças e pela facilitadora.

Síntese da Conversa Participativa:
A conversa participativa teve por base o visionamento e discussão de duas curtas metragens (produzidas pelo projecto ‘Sustainable Human’) sobre as consequências da reintrodução dos lobos no parque nacional do Yellowstone nos EUA e sobre o impacto das baleias no clima:

‘How wolves change rivers’:
 

‘How whales change climate’:



Após os visionamentos, foram comentados alguns dos aspetos que caracterizam as interdependências entre todos os componentes dos sistemas vivos, numa tentativa de compreender os equilíbrios dinâmicos e frágeis que têm sido postos em causa por algumas atividades humanas, mas que podem ser recuperados pela sua intervenção.
 
Foi destacada a imprevisibilidade da cadeia de interacções dos ecossistemas e a criatividade inerente às dinâmicas ecológicas, que geram mudanças que podem exceder as expectativas - e que devemos estar preparados para nos deixar surpreender, desde que se cumpram as condições essenciais de recuperação dos sistemas intervencionados.
 
 
Os participantes da #4 Conversa Participativa d'Os Dias da Terra, com o tema 'Está Tudo Ligado!'
 
Foi realçada a importância do tempo na aquisição de conhecimento mais aprofundado, que é indispensável para informar as ações a tomar, mas foi igualmente notado que a teoria de sistemas sugere que existem ‘ponto de alavancagem’ que permitem simplificar as intervenções a realizar.
 
Foram constatadas as contradições entre as prioridades económicas, que influenciam as tomadas de decisão políticas e os argumentos de natureza ecológica. Uma mudança de paradigma passará pela inclusão de valores e objetivos ligados à protecção dos recursos naturais na decisão política e pela reavaliação das necessidades e dos bens comuns pelas sociedades.
Estímulos documentais no centro da roda, sugeridas pelo facilitador da conversa, Álvaro Fonseca
 
Tal como na sessão anterior, constatou-se a dificuldade em conseguir tomar decisões e ter uma posição definitiva em questões de grande complexidade e delicadeza, mas concordou-se em que a melhor abordagem será partir do conhecimento existente, ainda que incompleto, para introduzir pequenas mudanças e ir ajustando as intervenções posteriores a partir duma observação demorada e abrangente da evolução dos sistemas. 
 
Síntese da Oficina Criativa:
 
A Oficina Criativa contou com dois participantes, o que tornou toda a dinâmica mais intimista e pessoal. A oficina realizou-se no auditório do CIM, o qual foi decorado com elementos das oficinas anteriores, enriquecendo cenicamente o espaço e convocando a dimensão da memória e afetividade das produções artísticas das crianças que até então participaram nas três oficinas realizadas.
 
A orientadora da oficina propôs o tema da água como base de uma (também) conversa e exploração física, vocal e imagética deste 'elemento ligante' no planeta e seus habitantes.
 
A performance criada foi apresentada como história, narrada pela orientadora e interpretada pelas crianças.
 
As crianças e a orientadora da oficina, descontraídos no final da apresentação
 
 
Balanço pela organização:

Nesta 4ª sessão d'Os Dias da Terra participaram 6 adultos e 2 crianças - e uma equipa de 4 colaboradores voluntários. Os donativos foram diluídos no total de donativos do festival, os quais totalizaram 120 euros, tendo sido alocados a esta atividade (para cobertura de custos de produção), 24 euros.

Quanto a nós, o balanço desta 3ª sessão perpassa alguma surpresa no reduzido número de participantes, não só face ao número de pré-inscritos como à dimensão maior do festival (mas, de facto, sábado teve uma manhã chuvosa que 'retraiu' o público de vir até ao CIM). Todavia, relativamente ao tema da sessão e 'inputs' da conversa, registou-se uma enorme envolvência e qualidade de perspetivas alocadas pelos participantes.
 
 
Pedido de comentários:
 
De forma a enriquecer este balanço, agradecíamos agora que nos fizessem chegar as vossas opiniões, ideias, sentimentos, respondendo aos tópicos que vos fizerem sentido (usando a secção de comentários no final do post):
  1. Aspectos positivos:
  2. Aspectos que podiam ser melhorados:
  3. Escolha dos textos:
  4. Tema da oficina:
  5. Comentários adicionais e/ou sugestões:
Estas respostas são importantes para o nosso balanço final e planeamento das próximas sessões deste ciclo.
 
Gratos pela vossa participação,
Nos caminhos da transformação,
 
Álvaro Fonseca, Rita Fouto e Cláudia Freches 
 

MAIS INFORMAÇÕES SOBRE O CICLO:
Saiba mais sobre este ciclo, como e porque surgiu, quais os objetivos, balanços das sessões anteriores e datas e temas das próximas sessões, aqui.
 

(Comunidade #4) 14.Abr na Finca Equilibrium, em Pegões

 
INFORMAÇÕES GERAIS:
O 4º encontro de partilha e(m) comunidade é já no próximo sábado 14 de abril e realizar-se-á na Finca Equilibrium, em Pegões, Montijo.
 
Neste dia, iremos realizar uma manhã de trabalho-aprendizagem, observando a evolução do projeto de permacultura e agroecologia em horta e floresta, que o João Gonçalves e a Mónica Barbosa iniciaram, pela Ecotrabalho, há um ano - e colaborando, com o nosso trabalho voluntário, no que for preciso.
 
PROGRAMA:
9:00 - Chegada, Chá de Boas-Vindas
9:30 - Passeio-Visita e Distribuição do Trabalho (Local, Tarefas, Instruções, Ferramentas)
13:30 - Pic-Nic partilhado com os contributos de todos
15:00 - Conversa sobre 'Comunidade'
18:00 - Fim/ Chá de Despedida

LOCALIZAÇÃO:
A Finca Equilibrium localiza-se entre a Localidade de Faias e Aldeia Nova da Aroeira, Freguesia de Poceirão - Município de Palmela (+/- 50 Km de Lisboa)

Coordenadas GPS:
38°43'0.43"N
8°45'22.89"W

Mapa Google:
https://www.google.pt/maps/place/Finca+Equilibrium/@38.717013,-8.7586437,17z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0xd1914722b3e7a1f:0x764ccde5db0f6d8!8m2!3d38.717013!4d-8.756455
Explicação "à antiga":
Na N4, depois das Bombas da Repsol (que estão à nossa direita), entra-se na localidade de Faias (vê-se uma placa). No 1º cruzamento vira-se para a esquerda, depois, segue-se sempre em frente. A Finca fica na 3ª ou 4ª estrada de terra batida (Rua Augusto Pinelas). Finalmente, ao fim da rua (antes dos eucaliptos), vira-se à direita, há uma caravana verde velha estacionada... Chegaram!
 
 
Inscrições/ Confirmações de Presença na página facebook do evento - aceite o convite/ confirme a sua presença!
 
Recomendamos vivamente a todos a participação nesta iniciativa, como excelente forma de, em família, entre amigos e em comunidade, ajudar, aprender, conhecer novos locais e pessoas, conversar/ discutir/ refletir em conjunto e lançar as bases deste nosso 'espaço' em Comunidade :)